Última hora

Última hora

Musharraf não comparece a reunião de líderes afegãos e paquistaneses

Em leitura:

Musharraf não comparece a reunião de líderes afegãos e paquistaneses

Tamanho do texto Aa Aa

O presidente do Paquistão, Pervez Musharraf, não compareceu na Loya Jirga, uma reunião de mais de 600 líderes religiosos e tribais do Paquistão e do Afeganistão, realizada neste último país. A ausência de Musharraf reflecte a fragilidade do relacionamento actual entre os Estados Unidos e o Paquistão. A Loya Jirga foi organizada, em Washington, pelo presidente norte-americano numa reunião com os líderes afegão e paquistanês, em Setembro passado, tendo ficado definido o objectivo de acabar com o terrorismo patrocinado pelos Taliban e pela Al-Qaeda.

Um relatório dos Serviços de Inteligência Norte-Americanos indica que a Al-Qaeda se pode estar a reagrupar na fronteira com o Paquistão. Este país tem sido, por isso, muito pressionado pelos Estados Unidos para endurecer a posição em relação aos militantes das zonas fronteiriças. Este mês, por exemplo, o presidente norte-americano, George W. Bush, condicionou a ajuda financeira ao país à concretização de determinados objectivos na luta contra os extremistas.

A popularidade de Musharraf caiu depois dos ataques do mês passado. O exército paquistanês invadiu a Mesquita Vermelha, um bastião fundamentalista, provocando mais de 100 mortos. Este acontecimento desencadeou uma onda de ataques suicidas, que em duas semanas provocaram mais de 200 mortes. Também no mês passado, o Supremo Tribunal reconduziu no cargo o presidente desta instância, Iftikhar Muhammad Chaudhry. Este juíz, destacada figura da Oposição, tinha sido suspenso pelo presidente paquistanês quatro meses antes.

O relacionamento do presidente afegão Karzaï e de Musharraf também é gélido. O líder do Afeganistão acusa o homólogo paquistanês de não fazer o suficiente para estancar o fluxo de militantes que atravessa a fronteira do Paquistão. Musharraf contrapõe, dizendo que é o Governo afegão que não consegue controlar o próprio território. Analistas paquistaneses dizem que a ausência de Musharraf na Loya Jirga é uma mensagem para os Estados Unidos. É que Washington criticou recentemente os esforços do Paquistão na luta contra o terrorismo e sugeriu que poderá vir a realizar ataques unilaterais contra a Al-Qaeda, no Paquistão.

Com eleições presidenciais nos Estados Unidos em 2008, as políticas defendidas pelos candidatos variam entre o isolamento e ataques militares à região fronteiriça do Paquistão com o Afeganistão. Os norte-americanos dão ao Paquistão cerca de 700 milhões de euros por ano, sobretudo em ajuda militar. Ironicamente, parte desta ajuda acaba por ir parar às mãos dos Taliban.