Última hora

Última hora

Crónica da mediatização de um desaparecimento

Em leitura:

Crónica da mediatização de um desaparecimento

Tamanho do texto Aa Aa

O enigma Madeleine McCann começou no dia 3 de Maio, quando os pais avisaram a polícia do desaparecimento da menina.
Três dias depois, um responsável da PJ de Faro anunciava que estavam reunidos os elementos que apontavam para a tese do rapto e que, na origem do crime, poderia estar um pedido de resgate ou a prática sexual. No seguimento desta tese, Robert Murat um empresário britânico a residir na Praia da Luz foi constituído arguído no dia 15 de Maio, mas não foi detido por falta de provas tendo ficado sujeito a termo de identidade e residência. A polícia voltou esta semana a fazer buscas na casa deste suspeito.

O pai de Maddie, Gerry, continua a afirmar que os McCann tudo farão para ajudar a polícia, ainda que a investigação esteja a tomar um novo rumo e as teses de acidente ou morte da criança sejam agora privilegiadas. O casal de médicos não se tem poupado a esforços mediáticos para fazer falar da filha desaparecida. David Beckham – a estrela britânica do futebol – foi o primeiro a dar a cara pela campanha por Madeleine. Os pais da criança percorreram cidades como Madrid, Berlim, Amesterdão ou Washington e fizeram-se até receber pelo Papa. Através de viagens, entrevistas, fotos e um batalhão de jornalistas o caso tem sido seguido com bastante atenção tanto em Portugal como no Reino Unido e, enquanto os investigadores não fornecem respostas sobre o seu paradeiro, a imagem de Madeleine chega agora ao mundo inteiro através da Internet.