Última hora

Em leitura:

Putin quer criar rival para a Boeing e Airbus


mundo

Putin quer criar rival para a Boeing e Airbus

A Rússia planeia voos mais altos. Em 2025, o Kremlin quer ter o 3º maior construtor aeronáutico do mundo. Para já, inaugurou a maior exposição aeronáutica desde o fim da União Soviética, que levou à decadência da indústria. Durante 6 dias, nos arredores de Moscovo 800 companhias de uma centena de países participam no certame.

A reentrada no negócio da aviação civil é uma das apostas, mas a construção de novos aviões militares também vai descolar. O presidente Vladimir Putin deixou clara a intenção de fazer renascer a indústria aeronáutica russa: “Temos pela frente a missão de apoiar a nossa liderança na produção de tecnologia militar na área da aviação. Neste salão aeronáutico será visto o potencial único que o nosso país tem para o sector aeroespacial. Não posso deixar de reforçar que a Rússia, com as novas capacidades financeiras que possui, vai dedicar no futuro toda a atenção ao desenvolvimento de tecnologias de ponta”.

Putin apelou a todos os construtores russos para se juntarem numa mesma companhia, que contará com o apoio financeiro do Estado, para rivalizar com a Boeing e a Airbus. No plano militar, depois do regresso das patrulhas aéreas permanentes, foram apresentados os novos Mig e Sukoi, para além do novo sistema de mísseis de defesa. O futuro dirá se Putin terá a capacidade de pilotar esta revolução nos céus russos.

Saiba mais:

Há pontos de vista diferentes para cada história: a Euronews conta com jornalistas do mundo inteiro para oferecer uma perspetiva local num contexto global. Conheça a atualidade tal como as outras línguas do nosso canal a apresentam.

Artigo seguinte

mundo

Milhares de palestinianos sem electricidade em Gaza