Última hora

Última hora

Al-Sadr e governo tentam travar a violência

Em leitura:

Al-Sadr e governo tentam travar a violência

Tamanho do texto Aa Aa

Os diferentes poderes em Kerbala tomam medidas para controlar a violência depois dos incidentes que custaram a vida a mais de 50 pessoas e fizeram cerca de 300 feridos. O governo iraquiano reforçou a presença do exército, apoiado por forças norte-americanas, decretou o recolher obrigatório e afirma ter a cidade sob controlo. No entanto nas ruas da cidade santa xiita continua-se a escutar o som das armas e a assistir à fuga dos peregrinos em busca de um abrigo seguro.

Os confrontos das últimas 24 horas parecem ter colocado frente a frente os dois maiores grupos xiitas iraquianos: os seguidores de Moqtada al-Sadr, o exército Mehdi e o rival Supremo Conselho Islâmico Iraquiano, cujo braço armado controla a polícia em quase todo o sul do Iraque.

Acusado da responsabilidade de muita da violência xiita dos últimos tempos o jovem líder religioso Moqtada al-Sadr decidiu suspender, por um período que pode chegar aos 6 meses, a actividade do exército Mehdi. Sadr quer que o grupo de militantes se “reestruture de maneira a conservar os seus princípios”. Sadr apela também ao governo para abrir um inquérito “justo e imparcial” aos incidentes em Kerbala.