Última hora

Última hora

Polémica de Fanny Ardant na abertura da Mostra de Veneza

Em leitura:

Polémica de Fanny Ardant na abertura da Mostra de Veneza

Tamanho do texto Aa Aa

É envolto numa polémica criada por uma actriz francesa que começa o Festival de Cinema de Veneza. Fanny Ardant classificou como “herói” o fundador das Brigadas Vermelhas, Renato Curcio, numa entrevista à imprensa italiana.

Apesar da polémica gerada por tais declarações, a actriz vai estar presente no certame já que participa num dos filmes em competição para o Leão de Ouro, “L’Ora di Punta”, do italiano Vincenzo Marra, uma das 22 longas-metragens que concorrem ao maior prémio do festival, o Leão de Ouro.

Veneza é perita em lançar filmes que depois são nomeados pela Academia de cinema norte-americana. A Mostra abre com o filme “Atonement”, que conta com a participação dos actores Keira Knightley e James McAvoy. Só nos últimos três anos, os filmes apresentados no festival italiano foram alvo de 51 nomeações da academia norte-americana.

Este estatuto de antecâmara dos Óscares e o facto de nove dos 22 filmes em competição serem produções de Hollywood não escaparam ao olhar crítico dos especialistas.

No entanto, Marco Mueller, o director do festival, defende que “os filmes não são escolhidos em função das estrelas que compõem o seu elenco, mas devido à sua beleza.” Mueller sublinha que “os critérios de escolha são muito claros. Alguns filmes são mais bonitos e fortes do que outros.”

“In The Valley of Elah” é um dos dois filmes norte-americanos em competição que têm como pano de fundo a guerra no Iraque. Tommy Lee Jones, Susan Sarandon e Charlize Theron fazem parte do elenco deste filme que tem por base uma história verdadeira.

Vencedor do Leão de Ouro para o melhor filme em 2005 com “Brokeback Mountain” e laureado com o Óscar de melhor realizador, Ang Lee, volta a marcar presença com “Lust, Caution”, uma história de espionagem na qual uma jovem se envolve com uma figura política influente durante a segunda guerra mundial.