Última hora

Última hora

Recessão do emprego nos EUA

Em leitura:

Recessão do emprego nos EUA

Tamanho do texto Aa Aa

A economia norte-americana perdeu 4000 empregos, em Agosto, nos sectores secundário e terciário. Foi a primeira vez, em quatro anos, que houve uma contracção nos valores do emprego. Esta queda segue-se a um aumento de 68.000 pessoas empregadas, em Julho, um valor que ficou abaixo das expectativas.

Embora as autoridades financeiras tentem relativizar, este é um reflexo da recente crise, relacionada com as hipotecas de risco.

A taxa de desemprego manteve-se estável nos 4,6%, ou seja, o valor está igual ao de Janeiro. Durante os primeiros meses do ano, a taxa de desemprego baixou, mas voltou depois a subir.

A indústria foi foi o sector que perdeu mais trabalhadores, seguido pela construção civil, que nos meses anteriores tinha já perdido alguma força de trabalho. Em Agosto, houve menos 22.000 pessoas a trabalhar, depois de em Julho o número de trabalhadores ter caído em 15.000.

O imobiliário entrou em crise com as notícias sobre as hipotecas de risco, o chamado subprime, e o efeito excessivo nas contas dos bancos.

Esta crise está a afectar a economia e a queda no emprego pode ser o sinal que faltava para que a Reserva Federal faça um corte na taxa de juro. Essa descida do preço do dinheiro pode acontecer já na reunião do dia 18. O presidente da Fed, Ben Bernanke, prometeu agir, se necessário, para evitar a recessão económica.