Última hora

Última hora

Koushner tenta reparar "erro de comunicação" e diz que França só pensa em dialogar com o Irão

Em leitura:

Koushner tenta reparar "erro de comunicação" e diz que França só pensa em dialogar com o Irão

Tamanho do texto Aa Aa

O chefe da diplomacia francesa foi a Washington tentar acalmar os ânimos, depois de ter afirmado publicamente que os franceses deveriam preparar-se para o pior, ou seja, para a guerra com o Irão. Afinal, as autoridades francesas dão prioridade à diplomacia, pelo menos foi isso que Bernard Koushner transmitiu aos deputados e representantes da administração norte-americana com quem esteve reunido. Koushner explica que o objectivo é promover a paz e a tranquilidade na região. A tensão é muita e garante que França quer apenas dialogar.

França está interessada em endurecer as sanções ao Irão, na mesma linha que os Estados Unidos procuram aprovar no conselho de segurança uma terceira resolução que endureça as punições. Para já, o chefe de Estado iraniano prepara-se para ir a Nova Iorque à reunião da assembleia geral das nações unidas e esteve mesmo previsto visitar o ground zero… Algo que chocou vários norte-americanos.

Um novaiorquino acha que a visita de Ahmadinejad ao local do atentado às torres gémeas podia ser visto como provocador, “ele não gosta muitos dos americanos” e duvida que os consiga conquistar; outro residente considera que todos deviam ser livres de visitar o que quer que seja, por outro lado há algo que lhe rói o estômago por isso está indeciso.

De acordo com a imprensa francesa, o presidente Nicolas Sarkozy vai propor sanções unilaterais, por parte da União Europeia, para atingir o Irão ao nível financeiro, nos sectores do crédito e dos seguros, caso não seja aprovada a terceira resolução no Conselho de Segurança das Nações Unidas.