Última hora

Última hora

Nicolas Sarkozy mantém a sua estratégia de ruptura e avisa ser'a intransigente sobre os principios

Em leitura:

Nicolas Sarkozy mantém a sua estratégia de ruptura e avisa ser'a intransigente sobre os principios

Tamanho do texto Aa Aa

O presidente da Republica francesa promete uma reforma rápida dos regimes especiais de aposentação. Um milhão e meio de franceses são abrangidos por esta reforma, funcionários públicos que pesam Estado cerca de cinco mil milhões de euros por ano.

Sarkozy pede confiança e honestidade aos que são afectados por esta reforma: “Podemos garantir lhe que respeitamos o seu estatuto especial mas eles devem compreender que não pode haver franceses de duas categorias pessoas que cotizam 40 anos e outros 37 e meio”

Sobre o estatutos dos funcionarios Sarkozy defende um novo contrato social

“A França vive acima dos seus meios. Temos 1.200 mil milhões de euros de divida. Os salarios e as pensões dos funcionarios representam 45% dos orçamento francês. Se a partir de agora deixarmos de subsituir cada funcinário que se reforma poderemos reduzir esse deficite. Foi o que propusemos, eu e o primeiro ministro, que a metade das economias conseguidas sejam repartidas pelos funcionarios para lhes aumentar o poder de compra. Menos funcionarios mas melhor pagos. É assim uma função pública moderna”

Sarkozy prometeu contudo dialogar com os sindicatos sobre a questão e apontou o primeiro semestre de 2008 como meta para concluir este processo.