Última hora

Última hora

Manobra diplomática turca

Em leitura:

Manobra diplomática turca

Tamanho do texto Aa Aa

15 soldados turcos foram mortos, nos últimos dias, pelos separatistas curdos, um balanço que, subitamente, fez subir a temperatura na fronteira turco-iraquiana. A Turquia mostra os dentes e agita a ameaça de uma intervenção militar no Iraque. Prática corrente nos anos 90.

Os acordos de cooperação anti-terrorista, assinados no fim de Setembro entre os ministros do Interior dos dois países, não deram a Ancara o que o governo pretendia, ou seja, o direito de perseguir os rebeldes curdos no Iraque. Mas a ameaça de o fazer em caso de necessidade será credível?

“Se necessário” quer dizer que o parlamento tem de aprovar a moção contra a ambição estratégica dos americanos e contra o governo iraquiano, o que não parece possível, por isso, o analista entrevistado interpreta a decisão como um acto diplomático para apaziguar a opinião pública turca.

Acalmar os turcos por causa dos mortos dos últimos dias, depois das manifestações expontâneas em todo o país, reclamando uma resposta firme das autoridades turcas. Mas a intervenção no Iraque tem sido algo que os Estados Unidos têm tentado, a todo o custo, evitar, porque pode destabilizar as relações entre os principais aliados na região.

Nas aldeias fronteiriças do lado turco, ninguém quer ouvir falar de nada disto. A guerra fez muitas vítimas.

“Os nossos irmãos, tios e pais foram mortos por causa desta guerra. Não quero que a Turquia entre no norte do Iraque. A única maneira de resolver os problemas entre os turcos e os curdos é juntarem-se todos para encontrar a solução”.

Depois de 1984, o partido dos trabalhadores do território curdo e o exército turco entregaram-se a uma guerra sangrenta, que incluiu ataques terroristas dos rebeldes curdos e a violenta repressão turca. Os curdos do PKK exigem o reconhecimento do povo e do Curdistão turco.

São 20 milhões de curdos na Turquia, 7 no Irão, 6 no Iraque e 2 milhões na Síria. A população está geograficamente dividida e não tem a mesma cultura e objectivos.

O território curdo no norte do Iraque tem uma grande autonomia e é a região mais estável do Iraque. Querem é distância do exército turco e dos terroristas do PKK.