Última hora

Última hora

Procura de petróleo vai abrandar

Em leitura:

Procura de petróleo vai abrandar

Tamanho do texto Aa Aa

A procura mundial de petróleo deve sofrer uma desaceleração, no último trimestre deste ano. A Agência Internacional da Energia diz que os preços do barril, a tocar em máximos históricos, estão a levar os consumidores a procurar outras fontes de energia.

Segundo as previsões, a procura vai crescer em dois milhões de barris diários, em relação ao mesmo período do ano passado.

As Américas são a região do globo com procura mais elevada – 31,1 milhões de barris por dia. Seguem-se a Ásia/Pacífico, com 25,8 milhões, e a Europa, excluindo a Rússia, com 16,3 milhões.

Esta quinta-feira, os preços voltaram a subir. Nos Estados Unidos, o barril de crude aproximou-se de um novo máximo histórico, a rondar os 83 dólares. O Brent, cotado em Londres, está acima dos 80 dólares.

As reservas de crude nos Estados Unidos estão a encolher, também segundo a AIE, contrariando as previsões. Além desta queda, os preços estão a ser afectados por factores como a instabilidade em regiões produtoras, como a Nigéria, ou ainda pela fraqueza do dólar.

A OPEP vai aumentar a produção em 500.000 barris diários, a partir do próximo mês e a Arábia Saudita, maior exportador mundial, vai aumentar as entregas em cerca de um décimo.

As subidas no preço do barril reflectem-se nos combustíveis, o aspecto mais visível para os consumidores. O Inverno, que se aproxima, é uma altura de forte procura de produtos petrolíferos.