Última hora

Última hora

Hu Jintao oferece negociações de paz a Taiwan mas não tolera independência

Em leitura:

Hu Jintao oferece negociações de paz a Taiwan mas não tolera independência

Tamanho do texto Aa Aa

Hu Jintao delineou a agenda política e económica para os próximos cinco anos, no discurso de abertura do décimo sétimo congresso do Partido Comunista chinês. Com uma mensagem mais pacífica que o predecessor Jiang Zemin em relação a Taiwan, o chefe de Estado deixou no entanto um “convite envenenado”.

O presidente chinês defendeu um crescimento económico mais equilibrado e reformas políticas que, no entanto, não ponham em causa o poder do partido. A reunião, que dura uma semana, deverá servir para reforçar a liderança de Hu Jintao para um novo mandato de cinco anos.

Quando a China se prepara para receber os Jogos Olímpicos, o “número um” chinês propôs negociações de paz com Taiwan, mas deixou claro que Pequim não vai tolerar a independência, que a ilha pretende submeter a referendo em 2008.

O discurso de Hu Jintao não deixa antever uma China “mais democrática”. Willy Lam, analista da norte-americana Jamestown Foundation, diz que “não são esperados novos desenvolvimentos em termos de democracia. O Partido Comunista continuará a guardar com bastante zelo o monopólio sobre o poder”.

O presidente chinês prometeu ainda uma aceleração no desenvolvimento das forças armadas, apostando na sofisticação científica e tecnológica.