Última hora

Última hora

Sector da construção civil protesta contra falta de contrato colectivo de trabalho

Em leitura:

Sector da construção civil protesta contra falta de contrato colectivo de trabalho

Tamanho do texto Aa Aa

Locais de construção vazios em várias cidades suíças no primeiro dia da semana laboral, um sinal de que a tradicional “paz social” do país volta a ser abalada.

Mais de seis mil trabalhadores da construção civil sairam à rua em Genebra, Berna e Neuchâtel para se manifestarem contra a decisão unilateral do patronato em rescindir o contrato colectivo de trabalho no passado dia 1, medida que já gerou vários protestos.

Um pedreiro diz que trabalhar “sem convenção” é “uma vergonha”. Os sindicatos reclamam negociações para um novo contrato colectivo, o patronato exige uma maior flexibilidade nos horários de trabalho e salários ligados ao mérito.

Outro manifestante defende que “é o bom obreiro que faz o bom patrão” e vice-versa. “Se não existir uma convenção, deixará de haver confiança”. A situação afecta 80 mil trabalhadores fixos, dos quais 20 mil portugueses – a segunda maior comunidade de imigrantes do país.

Rémy Pagani, conselheiro municipal de Genebra, diz que “é a selva, a guerra total ao nível das condições de vida das pessoas e dos preços, o que não é bom para a estabilidade e a economia em geral”. A 1 de Novembro há nova demonstração de força, poucos dias antes de um encontro entre representantes dos trabalhadores e do patronato.