Última hora

Última hora

150 mil pessoas protestam contra flexisegurança à margem da cimeira de Lisboa

Em leitura:

150 mil pessoas protestam contra flexisegurança à margem da cimeira de Lisboa

Tamanho do texto Aa Aa

Mais de participaram esta quinta-feira na manifestação por uma Europa social e contra a flexisegurança, a maior dos últimos 20 anos em Portugal.

A conselheira do primeiro-ministro para a Presidência Portuguesa da União Europeia, Maria João Rodrigues, salienta que mais importante do que a flexisegurança é a a aposta na educação e qualificação.

“O que vai ser novo é, por exemplo, uma grande aposta que se vai fazer é na criação de empregos em novos sectores, em novas actividades e na preparação das pessoas para esses novos empregos. É uma iniciativa que estamos a lançar chamada exactamente Novas Competências para Novos Empregos”.

Certo é que a mega manifestação do Parque das Nações não impediu um acordo entre representantes
das confederações patronais e sindicais europeias sobre os princípios da flexisegurança.

Henri Monceau, do grupo de peritos Nossa Europa, refere que “os europeus estão de uma maneira geral preocupados com o facto de terem um regime de reformas garantido pelo Estado, contrariamente aos fundos de pensão privados, mas compreendem que é preciso fazer sacrifícios e que é preciso aumentar a idade legal de reforma, quer seja através de medidas legais ou através de outros incentivos.”

Estas conclusões estão presentes na sondagem deliberativa à escala da União Europeia Tomorrow’s Europe, realizada através da selecção de uma amostra representativa de cidadãos de todos os Estados membros União Europeia.