Última hora

Última hora

Suíça "vira" completamente à direita.

Em leitura:

Suíça "vira" completamente à direita.

Tamanho do texto Aa Aa

O partido populista e anti-europeísta UDC conseguiu uma vitória folgada nas eleições de domingo. Com 29 por cento dos votos, resultado nunca conseguido antes por um só partido, a União Democrática do Centro, mais 2,7 por cento do que nas legislativas de 2003, vai passar a ocupar 62 dos 200 assentos do Conselho Nacional, a câmara baixa do parlamento suíço. O partido liderado pelo ex-ministro da Polícia, Christoph Blocher, conhecido pelas suas declarações xenófobas, baseou a sua campanha na culpabilização dos estrangeiros pelos problemas de insegurança e criminalidade no país.

O famoso cartaz das três ovelhas brancas a expulsar da Suíça uma ovelha negra foi bem aceite pela sua base eleitoral tradicional, ou seja, os meios rurais e o cantão alemão. Contudo, desta vez, cativou também votos nas regiões francesas, tendo-se mesmo tornado no primeiro partido em Genebra. Diz um eleitor que “é muito mau para a Suíça porque houve votos a mais para a UDC.” No entanto, há quem considere que a esquerda foi a grande responsável por este resultado.

“Os partidos da esquerda abriram o caminho para este resultado através de ataques ridículos e sem terem um verdadeiro programa político, refere um outro eleitor que conclui em tom irónico que Blocher devia dar-lhes dois ou três milhões por terem participado na campanha.

O grande derrotado deste escrutínio foi para o Partido Socialista que perdeu nove assentos em relação aos 52 conseguidos em 2003. A vitória da UDC é folgada, mas não lhe permite governar sozinha. De facto, a União Democrática do Centro vai ter que se aliar aos partidos de centro- direita, democratas-cristãos ou radicais para poder pôr em prática o seu programa de governo.