Última hora

Última hora

Tensão política ensombra aniversário da revolução anti-soviética

Em leitura:

Tensão política ensombra aniversário da revolução anti-soviética

Tamanho do texto Aa Aa

Cerca de seis centenas de pessoas manifestaram-se em Budapeste contra o primeiro ministro, Ferenc Gyurcsany. Os protestos não são recentes, mas ganham força no dia em que a Hungria assinala mais um aniversário sobre a revolução de 1956. “Para a rua” foram algumas das palavras mais ouvidas, esta terça-feira, na capital.

A oposição, liderada pelo partido de centro-direita pede a demissão do primeiro-ministro, que em 2006 confessou ter mentido sobre a situação económica do país para ganhar as eleições. 51 anos após, a revolução anti-soviética, o país assiste a um forte desenvolvimento económico mas a tensão politica tende a agudizar-se.

Apesar do clima de celebração, os manifestantes de extrema-direita não desistem da pressão contra o Governo. Nos últimos dias, as manifestações têm sido uma constante. A polícia procura a todo o custo que situações como a tomada de assalto, em 2005, à sede da televisão pública em Budapeste se voltem a repetir.

Os Guardas Húngaros não quiseram deixar de marcar presença neste aniversário, ainda, que à margem das cerimónias oficiais. Em 56, a revolução contribuiu para consolidar a unidade húngara contra a União Soviética. Meio seculo depois os húngaros debatem-se com uma crise política.