Última hora

Última hora

Salão Automóvel de Tóquio abre as portas ao público

Em leitura:

Salão Automóvel de Tóquio abre as portas ao público

Tamanho do texto Aa Aa

A ecologia, a segurança e os últimos gritos do design cruzam-se na edição deste ano do Salão Automóvel de Tóquio, a grande montra da poderosa indústria automóvel do Japão.

Foram muitos os protótipos apresentados aqui. O próprio presidente da Toyota, Katsuaki Watanabe, escolheu chegar num “concept car” baptizado “irreal”. O nome não podia ser mais apropriado, até porque este carro tem funções que só estamos habituados a ver nos filmes de ficção cinetífica.

Watanabe explica: “Este carro pode mudar de forma facilmente. Isso significa que o comprimento, a altura e o ângulo podem adaptar-se ao ambiente em que se move e pode levar o passageiro a qualquer lugar”. Estes são carros apenas de apresentação, que não se destinam ao comércio, mas muitas das características podem mais tarde vir a ser adaptadas a veículos comercializados.

Carlos Ghosn, presidente da Renault e da participada japonesa Nissan, quis também marcar presença no salão. A Nissan apresentou aqui um carro desportivo, baptizado GT-R, que emprega tecnologia da fórmula um. Ghosn apresentou também os projectos de um carro económico, destinado ao mercado indiano.

A carta da segurança foi jogada por outro dos grandes actores da indústria japonesa. A Honda aposta num carro cuja carroçaria é feita de um material mole e flexível, para reduzir ao mínimo os danos aos peões, em caso de atropelamento. Mesmo se a grande maioria das marcas aqui presentes joga em casa, o salão de Tóquio acolhe um total de 250 expositores, vindos de 11 países.