Última hora

Última hora

O dia que ficou na história de Espanha

Em leitura:

O dia que ficou na história de Espanha

Tamanho do texto Aa Aa

Os ataques de 11 de Março foram os mais sangrentos de sempre em Espanha e os mais graves na Europa nos últimos 15 anos. Um massacre com a marca da organização terrorista Al-Qaeda, que provocou dor, horror e surpresa. Os atentados puseram, ainda, em causa as bases da convivência entre a comunidade mulçumana e a restante população espanhola.

A 11 de Março, o governo confirmava a acorrência de quatro explosões e mais de 80 mortos só na estação ferroviária de Atocha. Mas o primeiro balanço estava ainda longe da realidade. Ao todo 191 pessoas morreram e mais de 1700 ficaram feridas.

As unidades de saúde de Madrid não tiveram mãos a medir e muitos hospitais ficaram congestionados. Os pedidos para doação de sangue multiplicaram-se. Estava instalado o pânico e as primeiras suspeitas recaiam sobre a organização separtista ETA. O país viveu três dias de luto nacional e três anos para assistir à conclusão do processo.