Última hora

Última hora

Crise pode agravar-se nas próximas horas

Em leitura:

Crise pode agravar-se nas próximas horas

Tamanho do texto Aa Aa

150 dias após a vitória nas eleições legislativas de 10 de Junho, o primeiro-ministro eleito Yves Leterme, tem até à uma da tarde local, menos uma hora em Lisboa, para colocar flamengos e valões de acordo se quer evitar um agravamento da crise.

Os negociadores da coligação laranja-azul, as cores dos partidos liberais e democratas-cristãos flamengos e valões que debatem há praticamente cinco meses, chegaram na semana passada a um acordo geral sobre o programa de governo, faltando agora a concordância em temas como orçamento, fiscalidade e o capítulo institucional.

Caso não se chegue a acordo, os partidos flamengos anunciaram que votarão a secessão do distrito de Bruxelas Hal-Vilvoorde, constituído de 19 freguesias de Bruxelas-Capital, a única região bilingue do país, e 35 municípios situados em região flamenga à volta da capital.

Seis destes 35 municípios, chamados de facilidade linguística, são também bilingues, isto em território flamengo, sem qualquer ligação territorial com a Valónia. Jean-Marc Nollet, deputado federal ecologista, refere que “espera que os negociadores da coligação laranja-azul apresentem uma proposta, quer seja sobre o método, sobre a organização ou sobre o respeito pelas duas comunidades, que é essencial e fundamental.”

A secessão do distrito de Bruxelas Hal-Vilvoorde é vista pelos partidos francófonos como uma declaração de guerra por parte dos flamengos.