Última hora

Última hora

Rússia mais perto de se retirar do Tratado sobre Forças Convencionais na Europa

Em leitura:

Rússia mais perto de se retirar do Tratado sobre Forças Convencionais na Europa

Tamanho do texto Aa Aa

A Duma foi unânime esta manhã ao aprovar a suspensão do Tratado sobre Forças Convencionais na Europa. A câmara baixa do parlamento russo aprovou a decisão abordada pelo presidente russo pela primeira vez em Abril. O projecto-lei sobre a moratória foi apresentado à Duma pelo chefe de Estado russo no dia 23 de Julho.

Uma semana antes, Putin ordenou a suspensão da aplicação do Tratado no seu país, alegando que o acordo suplementar ao documento, assinado em Istambul, em 1999, não chegou a entrar em vigor. De facto, apenas a Rússia, a Bielorrússia, a Ucrânia e o Cazaquistão ratificaram este acordo que previa
a redução de armamentos para cada país separado, e não para blocos, como no documento inicial.

O documento destinava-se a substituir os limites estabelecidos pela NATO e pelo extinto Pacto de Varsóvia para as existências de blindados, peças de artilharia, aviões e helicópteros de combate, estabelecendo novos limites máximos nacionais e regionais.

O Tratado sobre Forças Convencionais na Europa foi assinado em Paris em 1990. O projecto-lei russo vai agora ser votado pela câmara alta do parlamento e se for a aprovado entra em vigor no dia 12 de Dezembro.