Última hora

Última hora

Protestos mantêm Musharraf sob pressão

Em leitura:

Protestos mantêm Musharraf sob pressão

Tamanho do texto Aa Aa

Uma onda de protestos contra a imposição do Estado de emergência continua a varrer o Paquistão. Em Peshawar, capital da província com o mesmo nome no Noroeste do país, militantes envolveram-se em confrontos com a polícia que utilizou bastões e gás para dispersar os manifestantes.

Entretanto em Lahore, mais de 100 estudantes e professores boicotaram as aulas na Universidade estatal do estado de Punjab, em protesto contra a demissão do chefe do Supremo Tribunal de justiça. Na capital Islamabad centenas de advogados sairam uma vez mais às ruas da cidade para continuar a contestar a demissão dos principais juízes paquistaneses afastados pelo presidente Pervez Musharraf.

Enquanto persistem os relatos de inúmeras detenções de membros da oposição um pouco por todo o país, os Estados Unidos, aliados dos paquistaneses na frente contra o terrorismo, já exigiram que Musharraf abandone o cargo de chefe das forças armadas.

Por outro lado, o presidente paquistanês negociara uma aliança com a antiga primeira-ministra Benazir Bhutto para uma eventual partilha de poder após as eleições marcadas para Janeiro. No entanto, Bhutto acabou por também ela apelar à intensificação dos protestos contra o regime de Musharrafm, exigindo ao mesmo tempo que o presidente abandone a chefia do exército.