Última hora

Última hora

Eleições na Austrália poderão afastar conservadores do poder

Em leitura:

Eleições na Austrália poderão afastar conservadores do poder

Tamanho do texto Aa Aa

As eleições de hoje na Austrália prometem mudar o panorama político no país, dominado nos últimos 11 anos pelos conservadores. As mais recentes sondagens dão como vencedores os trabalhistas, com uma larga vantagem. Promessas como a de retirar as tropas do Iraque ou de ratificar o protocolo de Quioto parecem ser decisivas para o eleitorado, face à inflexibilidade do actual governo nestes dois temas.

A imprensa saudava já ontem a derrota do primeiro-ministro John Howard em obter um quinto mandato consecutivo, apesar da promessa de baixar os impostos. O balanço económico positivo do governo e uma taxa de desemprego de 4,3%, a mais baixa de sempre, não parecem conseguir reabilitar Howard aos olhos da opinião pública.

O homem dado como o próximo primeiro-ministro, o trabalhista Kevin Kudd, apostou na campanha nos dois calcanhares de Aquiles do chefe de governo, o Iraque e a política ambiental. Kudd prometeu igualmente apresentar desculpas oficiais aos aborígenes australianos, pelas acções do passado, um gesto que Howard sempre recusou.

A campanha eleitoral contribuiu para vincar a vantagem dos trabalhistas, após a revelação de uma campnha de difamação dos conservadores que comparava os trabalhistas a terroristas islâmicos.