Última hora

Última hora

Paz no Médio Oriente: as divisões do xadrez político

Em leitura:

Paz no Médio Oriente: as divisões do xadrez político

Tamanho do texto Aa Aa

A Cimeira de Annapolis representa o maior esforço da administração Bush para resolver o conflito israelo-palestiniano.
No entanto, antes do início, há um tabu quanto a estabelecer prognósticos sobre os resultados.

Os palestinianos já comparecem divididos. O primeiro-ministro Mahmoud Abbas está numa posição muito fragilizada desde que o seu movimento Fatah perdeu o controlo de Gaza. O Hamas controla praticamente toda a Faixa e declarou que não reconhece legitimidade nem à cimeira nem aos acordos que dela resultarem.

O conselheiro de Abbas, Yasser Abed Rabo, garante que a conferência é um sucesso. O que importa é o dia seguinte, quando for preciso entrar em negociações directas, sérias e difíceis sobre o principal, ou seja o estatuto final da região.

Em caso de fracasso, Abbas pode perder tudo. Privado de apoio popular e à frente de um povo profundamente dividido, espera readquirir a legitimidade. Se regressar de mãos vazias, terá de confrontar-se com um Hamas reforçado apontar-lhe o dedo acusador.

Do lado israelita, o cenário não é mais animador. Ehud Olmert pode vir a tirar algum proveito, mas os eleitores consideram-no fraco. No governo também há desconfianças. Nos meios militares, a influência de Ehud Barak, exige uma posição rígida que afecte os palestinianos. Os aliados de Olmert no governo – o ultra- ortodoxo Shas e a extrema direita russófona – estão completamente contra a ideia de debater assuntos delicados.

Se as negociações derem frutos podem vir a traduzir-se num aumento de popularidade benéfico na resolução de questões como os colonatos judeus na Cisjordânia.

Quanto ao mundo árabe, as divisões são menores. Damasco envia uma delegação porque a questão dos Montes Golan está na agenda. Cairo e Riade também estarão representados.

Teerão, capital do país persa, fez tudo para dissuadir o aliado sírio e o vizinho saudita de participarem na reunião. E o ayatollah Ali Khamenei afirmou alto e bom som que a Cimeira de Annapolis foi organizada para benefício dos israelitas.

Bush não se deixa intimidar pelo Irão. O papel diplomático americano no processo de paz é demasiado importante para isso…