Última hora

Última hora

Sarkozy recusa a "escumalhocracia"

Em leitura:

Sarkozy recusa a "escumalhocracia"

Tamanho do texto Aa Aa

A ofensiva presidencial contra os motins nos subúrbios prossegue com mais uma mensagem forte de Nicolas Sarkozy. Para o chefe de Estado francês, “o que se passou em Villier-le-Bell não tem nada a ver com uma crise social” mas com o que apelidou de “escumalhocracia”.

Uma mensagem que o presidente fez questão de transmitir directamente aos agentes das forças da ordem numa reunião magna agendada de longa data. Perante uma plateia de dois milhares de polícias e gendarmes, Nicola Sarkozy recordou esta manhã em Paris que quem disparou armas de fogo contra os agentes das forças da ordem “terá de prestar contas” à justiça.

O discurso do chefe de Estado segue-se a uma noite considerada calma nos subúrbios a norte da capital francesa. Os motins começaram no domingo em Val d’Oise depois da morte de dois adolescentes que chocaram de moto contra um veículo da polícia. Alegadamente os jovens não respeitaram uma prioridade. Foi aberto um inquérito judicial para apurar a verdade. Mas enquanto a verdade não chega alguns subúrbios de Paris voltaram a incendiar-se e pela primeira vez vários polícias foram atingidos com tiros de caçadadeira. Um deles encontra-se em estado grave.