Última hora

Última hora

Greve nos transportes paralisa Itália

Em leitura:

Greve nos transportes paralisa Itália

Tamanho do texto Aa Aa

Os italianos enfrentaram uma greve histórica. Há mais de duas décadas que uma paralisação geral do sector dos transportes não tinha uma adesão maciça. Sobretudo em Roma e Milão os utentes tiveram um dia caótico. As composições de Metro, os comboios e os autocarros quase não circularam. A greve foi um protesto contra as verbas inscritas para o sector no orçamento de estado do próximo ano:

“Isto é contra uma lei do orçamento sem orçamento. Nós estamos unidos, pelo menos penso que estamos. E as pessoas estão connosco, é o que espero” – dizia um grevista.

No total foram 14 os sub-sectores que fizeram greve nesta sexta-feira. Contudo, as horas de paralisação variaram consoante os serviços o que lançou a confusão entre os utentes que lançavam queixas:

“Estamos aqui à espera, felizmente sempre vão passando alguns autocarros mas a greve começou mais cedo.”

“Disseram-nos que a greve começava às 9 horas, mas afinal foi às 8h30. É uma injustiça.”

A maioria das paralisações terminou entre as 16 e as 17 horas locais. Além dos transportes terrestres e marítimos é também de assinalar a pertubação sentida no sector aéreo. Só nos aeroportos de Roma e Milão foram anulados mais de 350 voos por causa da greve.