Última hora

Última hora

Espanha (re)unida contra a ETA enterra polícia morto em França

Em leitura:

Espanha (re)unida contra a ETA enterra polícia morto em França

Tamanho do texto Aa Aa

A Espanha reencontra a união na luta contra a ETA, após a morte de dois polícias ontem, no sul de França, alvejados por alegados membros da organização. O funeral do agente Raul Centano reuniu hoje em Madrid, as principais personalidades políticas de todos os partidos, que ontem decidiram reatar o extinto pacto anti-terrorista.

Para terça-feira está convocada na capital uma marcha conjunta apoiada por todas as forças políticas, para condenar a violência da ETA. O segundo agente alvejado morreu esta manhã no hospital, depois de horas em estado de coma. Desde os anos 70 que a ETA não assassinava em França.

No país, a polícia prossegue as investigações para capturar os dois homens e uma mulher que alvejaram os polícias espanhóis, à saída de um café em Capbreton. Segundo o ministério do Interior espanhol, os agentes participavam numa operação conjunta com as forças francesas de vigilância de membros da ETA, quando foram reconhecidos pelos atacantes que os alvejaram à queima-roupa.

Na fuga, os indivíduos roubaram o carro de Stephanie Tilhet, sequestrando-a durante horas, antes de a abandonarem numa floresta: “Disseram-me que eram da ETA e que o destino os tinha colocado no meu caminho, levaram-me para a floresta onde me amarraram e amordaçaram junto a uma árvore, tive medo, mas disseram que necessitavam apenas de duas horas… coloquei-lhes muitas perguntas durante o trajecto, falei-lhes dos meus filhos, do meu marido…”.

A polícia francesa levantou esta manhã o plano de urgência imposto ontem, sem conseguir capturar os suspeitos. Segundo as autoridades espanholas estariam a preparar um novo atentado.