Última hora

Última hora

Legislativas russas sob suspeita

Em leitura:

Legislativas russas sob suspeita

Tamanho do texto Aa Aa

Dez mil membros do movimento de jovens pró-Putin celebraram em Moscovo a vitória do partido presidencial Rússia Unida nas legislativas de ontem. Fiel aos objectivos para que foi criado pelo Kremlin, o movimento declarou quatro “dias de vigilância” para conter qualquer protesto ou revolta da oposição.

Pela primeira vez desde o final da era soviética, um partido controla mais de dois terços do Parlamento, dando a possibilidade a Vladimir Putin de alterar a Constituição para se manter no poder.

Face às críticas internacionais e da oposição relativas às irregularidades do sufrágio, o presidente assegurou hoje que as eleições são legítimas. “A legitimidade do parlamento russo aumentou sem dúvida. Não tenho qualquer dúvida de que os russos não deixarão que o país se desenvolva de uma forma destruídora como aconteceu noutras nações do espaço pós-soviético. E este sentimento de responsabilidade dos cidadãos pelo próprio país é para mim o indicador mais importante de que o nosso país se reforça não só ao nível económico e social, mas também político”, afirmou Putin.

Os resultados finais do sufrágio, bastante próximos da meta de 65% fixada pelo partido, apontam para um Parlamento com uma oposição enfraquecida.

O partido Rússia Unida controla agora 315 dos 450 lugares do parlamento, face aos 57 lugares dos comunistas, vistos como a única força de oposição. As novas regras eleitorais levaram à saída de cena dos partidos liberais do SPS e do Iabloko, quase ausentes dos media durante a campanha.