Última hora

Última hora

Funeral de Estado para o guarda morto em alegado atentado da ETA em França

Em leitura:

Funeral de Estado para o guarda morto em alegado atentado da ETA em França

Tamanho do texto Aa Aa

As autoridades espanholas organizaram um funeral de Estado para o guarda civil morto num alegado atentado da ETA em França.

O Rei Juan Carlos e a Rainha Sofia participaram na cerimónia fúnebre ao lado do chefe de governo socialista José Luis Rodriguez Zapatero e do presidente do Partido Popular Mariano Raroy.

O guarda de 23 anos morreu esta quarta-feira em Baiona onde tinha sido internado em estado de morte cerebral após ter sido baleado a 1 de dezembro por um alegado comando da organização terrorista ETA.

O guarda de 24 anos que estava com ele en missão na localidade francesa de Capebreton teve morte imediata.

As circunstâncias em que o atentado ocorreu deixam supôr que não se tratou de um assassínio premeditado. Os dois homens ter-se-ão cruzado por acaso com membros da organização terrorista.

Esta quarta-feira a polícia francesa deteve dois elementos da ETA, um homem e uma mulher , suspeitos de implicação no crime.

A mulher foi identificada como um dos membros da organização separatista basca mais procurados pela polícia.

O casal foi inicialmente posto em prisão preventiva por tentativa de roubo de uma viatura. segundo uma testemunha, os suspeitos tentaram fugir num clio verde. O carro foi encontrado no dia seguinte com 142 balas, algumas provenientes da arma que matou os dois agentes de segurança.