Última hora

Última hora

Continua braço-de-ferro entre maquinistas e caminhos-de-ferro alemães

Em leitura:

Continua braço-de-ferro entre maquinistas e caminhos-de-ferro alemães

Tamanho do texto Aa Aa

Os maquinistas alemães convocaram esta quinta-feira uma greve ilimitada a partir de 07 de Janeiro, na sequência do fracasso das negociações com a administração dos caminhos-de-ferro (DB) para aumentos salariais e um contrato colectivo próprio.

A greve abrangerá o transporte de passageiros e mercadorias, de acordo com o presidente do Sindicato dos Maquinistas (GdL), Manfred Schell.

Schell afirmou ainda que a greve só vai parar “quando houver certezas de que se está no bom caminho para se chegar a um acordo que preveja aumentos razoáveis. Só nessa altura pomos fim à greve e não antes”, sublinhou.

Este conflito laboral já dura há oito meses e os maquinistas recorreram várias vezes à greve para exigir aumentos salariais de cerca de 30 por cento e sobretudo um contrato colectivo separado dos restantes ferroviários.

A última greve convocada pelo sindicato GdL durou 62 horas, contou com a adesão de cerca de dez mil maquinistas e paralisou quase totalmente o tráfego dos comboios regionais e de longo curso de passageiros e também os transportes de mercadorias, causando prejuízos da ordem das dezenas de milhões de euros.