Última hora

Última hora

Kosovo aproxima sérvios dos russos

Em leitura:

Kosovo aproxima sérvios dos russos

Tamanho do texto Aa Aa

A Rússia conquistou ainda mais os corações dos sérvios do Kosovo depois de Moscovo ter dito ‘Não’ à independência da província sérvia.

Empunhado imagens de Vladimir Putin, os sérvios de Mitrovica assistiram à inauguração em Novembro da estátua do cônsul russo Grigorij Stevanovic Scerbin, assassinado na cidade em 1884 pelos albaneses.

Cultura e religião sempre aproximaram sérvios e russos.

Não é a primeira vez que a Rússia joga o trunfo da amizade.

Em 1999, as tropas russas foram aclamadas pelos sérvios do Kosovo quando os militares entraram em Pristina na noite de 11 para 12 de Junho.

Ao ser o primeiro a entrar no Kosovo e a tomar o controlo do aeroporto de Pristina, o exército russo deixou a NATO em má posição. Um golpe de teatro sobre o qual nunca ninguém terá a certeza de quem deu a ordem, mas que permitiu negociar melhor as condições da participação russa na KFOR.

Depois de várias vozes terem classificado a operação como um erro, o Kremlin acabou por aprovar o sucesso de uma manobra que lhe permitiu reivindicar um papel determinante na solução do conflito.

Oito anos depois, a Rússia continua a ter um papel fundamental, se não o principal na resolução do problema do Kosovo. A posição russa endureceu com Putin, especialmente ao longo do segundo mandato.

Para Moscovo, um Kosovo independente não seria uma excepção, como pretendem os ocidentais, mas um precedente, para o bem e para o mal.

Putin já alertou para as consequências duma independência do Kosovo no xadrez internacional.

Em regiões sensíveis como o Cáucaso, certos movimentos independentistas são apoiados e outros combatidos pelo Kremlin.

Para os sérvios do Kosovo, Vladimir Putin é a última bóia de salvamento.