Última hora

Última hora

Chavez troca petróleo venezuelano por médicos e professores cubanos

Em leitura:

Chavez troca petróleo venezuelano por médicos e professores cubanos

Tamanho do texto Aa Aa

O petróleo venezuelano é a moeda de troca para médicos, professores e treinadores desportivos cubanos.

No âmbito do Petrocaribe, a aliança de países da américa latina impulsionada por Hugo Chavez, está em marcha um sistema alternativo de cooperação ao nível energético. Chama-se ALBA – a Alternativa Bolivariana para as Américas.

O negócio é simples: a Venezuela dá o petróleo, os outros países pagam, não com dinheiro, mas com meios, recursos e mão-de-obra especializada.

É a forma que Chavez considera revolucionária de fazer frente ao eterno inimigo do norte da América.

Chavez diz que os barcos norte-americanos passam ao largo da costa, sabem que aqui precisam de petróleo, mas vão-se embora sem deixar nada.

E para tornar o acordo ainda mais simbólico, o presidente venezuelano inaugurou em Cienfuegos, no centro-leste de Cuba, uma refinaria da era soviética. Uma estrutura que ficou dotada ao abandono todos estes anos e que foi agora paga com fundos venezuelanos.

Chavez anunciou que a Petrocaribe planeia construir mais 10 refinarias, moderinzar outras oito na próxima década.

A Petrocaribe passou a contar com 17 países membros. Sexta-feira, as Honduras, tradicional aliado dos Estados Unidos, juntaram-se à organização.