Última hora

Última hora

Acto eleitoral no Quénia decorre sem incidentes

Em leitura:

Acto eleitoral no Quénia decorre sem incidentes

Tamanho do texto Aa Aa

Os quenianos decidem-se, hoje, por um dos nove candidatos às presidenciais, depois de uma renhida campanha eleitoral. Os cerca de 14 milhões de cidadãos chegaram cedo para exercer o direito de voto, num escrutínio onde dois nomes são dados à partida como favoritos.

O actual chefe de estado, Mawai Kibaki, tenta a reeleição. Uma tarefa que poderá ser dificultada pelo mais directo adevrsário e antigo aliado Raila Ondinga. Tudo em aberto numa altura em que as sondagens separam os candidatos por apenas dois pontos percentuais.

Na capital em Nairobi, o acto eleitoral arrancou sem incidentes depois de uma campanha eleitoral violenta. Setenta pessoas morreram entre elas estão três polícias durante os confrontos com manifestantes na região de Nyanza. Em dia de presidenciais, os quenianos elegem, ainda, 210 deputados do Parlamento.

O país debate-se com elevados níveis de desemprego, com o aumento de impostos e redução do poder de compra. Questões que segundo analistas poderão castigar o Kibaki do Partido União Nacional, eleito em 2002.

Os resultados do escrutínio deverão ser decididos pelos jovens que constituem perto de 70% da população. A escolha poderá ser difícil já que em termos práticos os dois candidatos apresentam propostas idênticas.

O apoio a Odinga, do Movimento Democrático Laranja tem vindo a crescer de dia para dia, mas os observadores internacionais chamam atenção para a possibilidade de fraude eleitoral. O escrutínio está a ser seguido de perto por quinze mil observadores da União Europeia.