Última hora

Última hora

Bruxelas sem fogo de artifício na Passagem de Ano devido a ameaça terrorista

Em leitura:

Bruxelas sem fogo de artifício na Passagem de Ano devido a ameaça terrorista

Tamanho do texto Aa Aa

A ameaça terrorista levou as autoridades belgas a anular o tradicional fogo de artifício da passagem de ano em Bruxelas.

O alerta antiterrorista na capital está em vigor desde o dia 21 de Dezembro, quando a polícia deteve 14 islamitas que estariam a preparar a fuga da prisão de um tunisino vinculado à Al-Qaida e condenado por um atentado frustrado contra uma base militar.

Nicolas Dassonville, porta-voz da Câmara Municipal, diz que “o fogo de artifício leva a uma grande concentração de pessoas e não queriam correr riscos, face à situação actual”. Acrescenta que, no entanto, “os particulares poderão aceder livremente ao centro da cidade. A polícia estará lá, vigilante, mas a festa e a vida continuam. Bruxelas não pára”.

As medidas de segurança excepcionais prolongam-se até ao dia 3 de Janeiro. Os organizadores do fogo de artifício desmontam o dispositivo e queixam-se da decisão tardia das autoridades.

Um dos responsáveis da organização, Emile Dereymaeker, defende que “terão uma multidão de pelo menos 50 ou 60 mil pessoas que vão comparecer à espera de ver o fogo de artifício” e será impossível prenevi-los atempadamente.

Se realmente os habitantes de Bruxelas e turistas não viram a notícia avançada este domingo pelos media belgas, correm o risco de ficar a olhar para o céu sem o deslumbre de anos anteriores.