Última hora

Última hora

Festa e champanhe dão as boas vindas ao euro

Em leitura:

Festa e champanhe dão as boas vindas ao euro

Tamanho do texto Aa Aa

Malta tornou-se hoje à meia-noite o décimo quinto país a adoptar o euro, em substituição da sua moeda nacional, a lira. Em Valleta a capital de Malta, o primeiro-ministro Lawrence Gonzi foi o primeiro obter a nova moeda retiradas neste distribuidor automático, o mais acessível para os turistas que chegam à ilha.

Gonzi declarou que “a introdução do euro significa que Malta está agora mais próxima da realidade europeia, o que significa atrair mais investimento, mais e melhores empregos”.
Este pequeno país, de 316 quilómetros quadrados e uma população estimada em cerca de 400 mil habitantes, segue as pisadas do Chipre que à meia-noite local se tornou no décimo quarto país da União Europeia a adoptar a moeda única da zona euro.
Os dois países mediterrânicos, ambos antigas colónias britânicas, aboliram as moedas nacionais para elevar para 15 o número de Estados a utilizar o euro. O comissário europeu Markos Kipriano lembrou que “depois de muito sacrifício e de muito trabalho entram na zona euro e projecta Chipre para o coração da União Europeia.

Com um crescimento económico na ordem dos 4% as duas ilhas não tiveram problemas em satisfazer os requisitos da Comissão Europeia. Os dois territórios representam juntos pouco mais de 0,23% do PIB da União e 0,4% da população.