Última hora

Última hora

Milhares de turistas estrangeiros retidos no Quénia

Em leitura:

Milhares de turistas estrangeiros retidos no Quénia

Tamanho do texto Aa Aa

Até há uma semana o Quénia era um dos países mais estáveis de África, agora os estrangeiros no país começam a ser evacuados, a começar pelos funcionários das organizações humanitárias.

“A população vive agora sob o signo do medo”, afirma uma trabalhadora humanitária norte-americana. “A palavra que mais se ouve por estes dias é Ruanda. As pessoas têm medo que as tribos se virem umas contra as outras e temem as consequências de tal situação”.

Vários países como o Reino Unido ou os Estados Unidos emitiram um alerta para que os seus cidadãos evitem viagens ao país.

O turismo representa 14% do PIB nacional. Os responsáveis quenianos afirmam num comunicado que os confrontos não atingem as zonas turísticas, da costa e dos parques naturais.

Nairobi encontra-se desde há dias bloqueado por barreiras políciais e militares, mas a situação não tranquiliza os turistas na capital. “Decidimos partir por causa dos motins e por ser perigoso andar pelas ruas, de qualquer forma com as lojas fechadas e a situação no país, o Quénia não é propriamente o melhor lugar para fazer turismo neste momento”, afirma um hóspede de um dos grandes hotéis da capital.

As agências noticiosas dão conta de que milhares de turistas europeus encontram-se ainda no país à espera de serem repatriados. Até agora não há notícia de ataques a estrangeiros, embora haja registo de confrontos em Nakuru, uma cidade que alberga um dos parques naturais mais visitados do país.