Última hora

Última hora

Musharraf apoia adiamento de eleições e convida britânicos a investigar morte de Butto

Em leitura:

Musharraf apoia adiamento de eleições e convida britânicos a investigar morte de Butto

Tamanho do texto Aa Aa

O presidente paquistanês pediu à polícia britânica que colabore na investigação à morte da opositora Benazir Butto. No primeiro discurso à nação após o atentado de quinta-feira em Rawalpindi, Pervez Musharraf tentou demarcar-se das acusações de cumplicidade no assassínio de Butto. Musharraf atribuiu a autoria da acção a terroristas, nomeadamente à Al-Qaida.

Face à situação o presidente considerou inevitável a anulação das eleições de 8 de Janeiro, apoiando a decisão da Comissão Eleitoral, anunciada hoje, de adiar o sufrágio para o dia 18 de Fevereiro.

Os dois principais partidos da oposição afirmaram já que apoiam a decisão. O PPP, antigo partido de Butto, liderado agora pelo filho Billawall Butto, tinha acusado Musharraf de querer atrasar o sufrágio para evitar que a revolta o penalisasse nas urnas.

A morte da carismática candidatada tinha provocado protestos ao longo do país que resultaram em pelo menos 58 mortos, em especial na província de Sindh. Musharraf anunciou que vai mobilizar o exército para garantir a segurança do sufrágio, ao mesmo tempo que se intensificam os combates contra grupos ligados à Al-Qaida.

O sufrágio de dia 18 de Fevereiro é visto como um novo teste às promessas do presidente de democratizar o país, após umas presidenciais contestadas.

A investigação internacional à morte de Butto, proposta pela União Europeia e pela França, revela-se decisiva para provar a boa-fé de Musharraf face à população e à comunidade internacional.