Última hora

Última hora

Ouro negro no país do champanhe

Em leitura:

Ouro negro no país do champanhe

Tamanho do texto Aa Aa

Com o petróleo a 100 dólares, os países consumidores procuram novas soluções. Não que toda a gente esteja agora a procurar jazidas de ouro negro no jardim. Mas a verdade é que um país, conhecido por muita coisa menos pelos campos petrolíferos, começa a lançar-se na prospecção – estamos a falar da França.

Perto da cidade de Orleães, a empresa norte-americana Toreador montou esta exploração. Emmanuel Mousset, presidente da filial francesa explica: “Produzimos aqui cerca de 50 mil tomeladas anuais de petróleo, o suficiente para alimentar dez a doze mil automóveis. Esperamos, com as novas descobertas, duplicar esse número”.

A produção francesa de petróleo é de apenas 21.500 barris diários. Um número muito pequeno, comparado com os dois milhões que o país consome. A França produz também gás natural. O petróleo produzido nesta e outras explorações é depois vendido às refinarias das grandes petrolíferas.

Os peritos elogiam este complexo, em relação ao Mar do Norte, uma vez que, aqui, o petróleo está a uma fraca profundidade e é fácil de extraír.

O preço cada vez mais alto do petróleo estimula o investimento. Apesar destes esforços, a França e os países vizinhos são ainda, e vão continuar a ser, essencialmente, países consumidores.