Última hora

Última hora

Bush em Ramallah para trazer a Paz e um Estado aos palestinianos

Em leitura:

Bush em Ramallah para trazer a Paz e um Estado aos palestinianos

Tamanho do texto Aa Aa

Foi um momento simbólico e histórico. Pela primeira vez um presidente norte-americano em exercício visitou a Muqata.

Em périplo pelo Médio Oriente, George Bush chegou à Cisjordânia apostado em “ajudar” Mahmoud Abbas a alcançar um acordo de paz com Israel até ao início de 2009 e nomeou entretanto o general William Fraser para supervisionar a aplicação do Roteiro para a Paz por parte de israelitas e palestinianos.

Abbas agradece todo o apoio para ganhar credibilidade, depois de ter perdido o controlo da Faixa de Gaza para o Hamas e, claro está, para solucionar uma luta que dura há 60 anos.

Bush trouxe a receita: “Para existir uma paz duradoura, o presidente Abbas e o primeiro-ministro Olmert têm de juntar-se e tomar decisões difíceis. Estou convencido que o vão fazer e acredito que é possível, não só é possível, como acredito que vai acontecer, que um acordo de paz vai ser assinado antes de eu deixar a presidência. É nisso que acredito.”

Acreditando no compromisso de Israel e de Abbas, Bush promete um Estado dentro de um ano, mas à porta da Muqata os palestinianos pediram que fosse julgado por crimes de guerra e acabaram em confrontos com a polícia.

Poucos crêem nas promessas de Bush, que se dedica hoje a seguir os passos de Jesus, com passagem pelo local do Sermão da Montanha. Qual Pai Natal ou rei Mago, Bush quer trazer de prenda de fim de mandato a Paz à Terra Santa.

Cristão fervoroso, o presidente norte-americano recolheu-se na Igreja da Natividade, em Belém, quiçá pedindo inspiração divina para a quimera a que foi indiferente nos últimos 7 anos.