Última hora

Última hora

Napolitanos protestam contra a crise do lixo

Em leitura:

Napolitanos protestam contra a crise do lixo

Tamanho do texto Aa Aa

Cerca de dez mil pessoas participaram esta quarta-feira numa marcha pelo centro de Nápoles em protesto contra a crise do lixo. Há mais de 100 mil toneladas de resíduos espalhados pelas ruas da cidade italiana.

O problema do lixo em Nápoles arrasta-se há catorze anos. A máfia napolitana é acusada de dominar o sector do transporte e eliminação dos resíduos. Um negócio que rende seis mil milhões de euros por ano. A população acusa as autoridades de fecharem os olhos e de nada fazerem.

Em sinal de protesto, algumas pessoas lançaram sacos de lixo contra o edificio que abriga o departamento de limpeza urbana da região.

O escritor Roberto Saviano que vive sob protecção policial desde que publicou um livro sobre a Camorra afirmou que as pessoas se revoltam porque não acreditam nas instituições e temem que as novas lixeiras não sirvam para armanezar o que lhes dizem mas o que o mafia decide.

A população protesta há uma semana contra a reabertura da antiga lixeira do bairro napolitano de Pianura temendo consequências para a sua saúde. As organizações criminosas que operam no sector enterram lixos tóxicos.

Entretanto, grupos de pessoas começaram a mobilizar-se para limpar a cidade.

Este homem afirma que a população participa nas operações de limpeza e que as crianças ajudam para demonstrar que têm sentido cívico e que nem toda a gente é da Camorra.

O governo italiano prometeu abrir três centros de tratamento de resíduos na região e encarregou o antigo chefe da polícia nacional de encontrar uma solução para o problema.