Última hora

Última hora

"Benditos são os que fazem a Paz": Bush quer acabar com o conflito israelo-palestiniano

Em leitura:

"Benditos são os que fazem a Paz": Bush quer acabar com o conflito israelo-palestiniano

Tamanho do texto Aa Aa

Antes de passar a outros assuntos, Bush concluiu o seu 1º périplo pela Terra Santa. No memorial de Yad Vashem, em Jerusalém, prestou homenagem às vítimas do Holocausto.

Neste último ano de mandato, o presidente norte-americano está determinado em conseguir um acordo de Paz que conduza à criação do Estado da Palestina, isto depois de 7 anos em que muito foi ateada a chama do conflito.

Convicto que “benditos são os que fazem a paz”, Bush não hesitou em endurecer o discurso em relação a Israel falando pela primeira vez abertamente na ocupação dos territórios palestinianos: “O ponto de partida para as negociações sobre um estatuto permanente parece claro. Devia acabar-se com a ocupação que começou em 1967. O acordo tem de estabelecer a Palestina como à pátria do povo palestiniano, tal como Israel é a pátria do povo judeu”.

Pleno de simbolismo e também histórico foi o momento em que pela primeira vez um presidente norte-americano em exercício visitou a Muqata, em Ramallah.

Mahmoud Abbas agradeceu o apoio, agora que só controla a Cisjordânia que, na actual situação, será a futura Palestina. É que ninguém acredita num Estado que possa incluir a Faixa de Gaza enquanto as bomba continuarem a cair sobre Israel e o Hamas, apesar de eleito pelo povo, continuar a reinar aí.

Os próximos meses vão revelar se as boas intenções de Bush resultam na paz e num Estado para a Palestina.