Última hora

Última hora

Bush semeia dúvidas no Golfo para recolher a paz

Em leitura:

Bush semeia dúvidas no Golfo para recolher a paz

Tamanho do texto Aa Aa

Durante toda a viagem ao Médio Oriente, George W. Bush terá semeado dúvidas para colher a paz. Agitando a ameaça de um Irão perigoso para a estabilidade da região, procurou o apoio de aliados árabes para esta questão em particular.

Em Abu Dhabi, no discurso mais importante do périplo, voltou a enumerar as muitas razões de queixa contra Teerão.

“Actualmente, o Irão é o líder dos países responsáveis pelo terror mundial. Envia centenas de milhões de dólares para os extremistas de todo o mundo enquanto o próprio povo enfrenta a repressão e a crise económica.
As acções iranianas ameaçam a segurança das nações em toda a parte. Por isso, os Estados Unidos reforçam o compromisso de longa data com os parceiros do Golfo e convidam os amigos em todo o mundo a enfrentar o perigo antes que seja tarde de mais.”.

Fazer aliados, principalmente nos países do Golfo que visitou: Kuwait, Barhein, Emirados Árabes Unidos e Arábia Saudita. O objectivo é assegurar aos aliados sunitas a determinação de Washington em continuar a protegê-los face à crescente ameaça xiita no Irão e à contaminação terrorista no Iraque.

Para alcançar o objectivo, mostrou um filme de 6 de Janeiro em que se viam as vedetas iranianas a perseguir barcos americanos no estreito de Ormuz, ameaçando mesmo atacá-los. Versão desmentida pelo Irão, que denunciou uma montagem de imagens de vídeo. Mas Bush não volta atrás.

“Foi uma acção perigosa da parte deles. Tornámos claro, publicamente, e conhecem a nossa posição. Vai haver sérias consequências se atacarem os nossos navios, pura e simplesmente.”

Também não hesitou em ameaçar de novo intervir no Irão se a República Islâmica continuar a fazer provocações. Disse-o em Isreal, no Kuwait e no Barheim.

No entanto, tudo isto é vago para os países árabes, que duvidam bastante das capacidades americanas para sustentar outra guerra na região.