Última hora

Última hora

China e Índia mais próximas

Em leitura:

China e Índia mais próximas

Tamanho do texto Aa Aa

As duas grandes economias emergentes do Mundo, Ìndia e China, estão apostadas em ajudar-se mutuamente, para se imporem na economia mundial.

O primeiro-ministro indiano Manmohan Singh está de visita oficial à China e prometeu aumentar o comércio entre os dois países, até 2010, para os 60 mil milhões de dólares. O ministro indiano da indústria, Kamal Nath, diz que os dois países têm que fazer face à conjuntura mundial: “A força das economias indiana e chinesa na economia global são importantes para resistir a um abrandamento. Antigamente, dizia-se que que quando os Estados Unidos espirravam, o mundo inteiro constipava-se. Nos próximos tempos, na próxima década, isso vai aplicar-se à China e à Índia”.

Ambos os países têm tido um forte crescimento económico nos últimos anos, embora a Índia não tenha conseguido chegar aos dois dígitos, como a china tem tido.

Em 2007, a economia indiana terá abrandado, enquanto a chinesa acelerou. Já para este ano, prevê-se um enfraquecimento nos dois países.

O aumento da cooperação entre os dois países é já notório. No ano passado, o volume de trocas comerciais entre a China e a Índia cresceu mais de 50 por cento.

A Índia pede um esforço maior, por parte dos chineses, no que toca ao levantamento de barreiras ao comércio, nomeadamente à importação de frutos e legumes indianos.

A Índia, aliada tradicional das potências ocidentais, junta-se também ao coro que pede maior flexibilidade monetária por parte de Pequim.