Última hora

Última hora

"Polvo" tem até Março para fazer a Bélgica sair da crise política

Em leitura:

"Polvo" tem até Março para fazer a Bélgica sair da crise política

Tamanho do texto Aa Aa

Primeira reunião do “polvo”, o grupo dos 8 principais partidos belgas que vai tentar revolver a crise política que o país atravessa há mais de 6 meses. Vencedor das legislativas, o líder flamengo Yves Leterme apelou a um acordo que dê mais autonomia às regiões, de forma a acabar com a crise.

A incapacidade dos políticos flamengos e francófonos em entenderem-se sobre a reorganização do Estado tem impedido a formação de um governo de centro-direita.

Mas se o “polvo” falhar Yves Leterme?

“Seria verdadeiramente uma oportunidade perdida para todos os cidadãos deste país. Porque acredito que a Bélgica tem direito a um governo, tem direito a uma maioria que assuma as suas responsabilidades e tem também direito a uma adaptação das suas estruturas em benefício de cada cidadão”.

Do Norte flamengo, mais rico e próspero, exige-se maior autonomia. A Sul, os francófonos desejam a manutenção de um Estado central forte, uma luta política que levantou receios de uma divisão do país em 2.

No meio, uma população que, a cada agravamento da divisão dos políticos, saí às ruas apenas para pedir a unidade do país.

O “polvo” de 8 partidos tem até 23 de Março para apresentar resultados, altura em que termina o mandato do governo interino belga e que Yves Leterme deve finalmente assumir o posto de primeiro-ministro da Bélgica.