Última hora

Última hora

União Europeia quer vitória do moderado Tadic nas eleições sérvias

Em leitura:

União Europeia quer vitória do moderado Tadic nas eleições sérvias

Tamanho do texto Aa Aa

A eleição presidencial do próximo domingo na Sérvia pode determinar o rumo deste país dos Balcãs. Ou se aproxima da União Europeia, podendo dar em troca a soberania ao Kosovo, ou rompe com os 27 e recebe o apoio da Russia. A ministra dos Negócios Estrangeiros austríaca, Ursula Plassnik já demonstrou apoio ao candidato pró-europeu, Boris Tadic.

Apesar das recomendações europeias, Tomislav Nikolic, do artido Radical Sérvio, é o favorito. O candidato ultranacionalista tem o apoio de Moscovo e promete nunca abandonar a minoria sérvia no Kosovo.

Do outro lado está o actual presidente, Boris Tadic, mais moderado e pró-europeu, mas que nem quer ouvir falar da independência da província separatista. No entanto, as sondagens mostram que nenhum dos candidatos deverá ter uma maioria absoluta e que deverão enfrentar-se na segunda volta, já a 3 de fevereiro.

A maioria albanesa do enclave segue com expectativa estas eleições. Num encontro do governo kosovar, esta manhã, Hadredin Kuqi, vice primeiro-ministro, disse que “todos os cidadãos, de todas as nacionalidades devem ficar calmos durante este processo”. “Vai haver muita especulação, mas temos de estar calmos para atingir os objectivos”, declarou.

Hashim Thaci, eleito primeiro-ministro do Kosovo o mês passado, anunciou em reunião com as Nações Unidas que espera declarar a independência de forma unilateral dentro de semanas.

O presidente sérvio apelou ao Conselho de Segurança da ONU para rejeitar a independência.

A Rússia disse ainda que o Kosovo deverá ser banido da ONU e de qualquer organização internacional, caso proclame a independência de forma unilateral.