Última hora

Última hora

Atentado no Iémen tem como principal suspeito braço armado da Al-Qaeda

Em leitura:

Atentado no Iémen tem como principal suspeito braço armado da Al-Qaeda

Tamanho do texto Aa Aa

O atentado desta sexta-feira no Iémen dá-se poucos dias depois do braço armado da Al-Qaeda no território ter prometido libertar os membros da rede terrorista. Um anúncio que levou as autoridades locais, a atribuirem o ataque à organização fundamentalista islâmica.

Tudo aconteceu em Hadramaut a cerca de 900 quilómetros da capital, Sanaa. Quatro homens armados abriram fogo sobre um grupo de turistas, matando, duas belgas e dois iémenitas.

O ministro do Turismo no Iémen, Nabil Al-Faqih, já lamentou o sucedido, sustentando, tratar-se de “um acto cobarde cometido por alguém sem consciência e humanidade.”

O território tem sido palco de vários ataques a grupos estrangeiros. Uma situação de risco, que de acordo com o ministro Negócios Estrangeiros belga, Karel de Gucht, é do conhecimento geral. Face ao elevado nível de risco, refere, as pessoas não se devem deslocar ao Iémen “excepto em casos extremos” e se assim for, acrescenta, “nunca à região onde ocorreu o atentado.”

Mais de duas centenas de turistas belgas visitam, anualmente, o Iémen, conhecido pelas riquezas paisagísticas e arqueológicas. Em Julho de 2007 oito turistas espanhóis tinham, também, sido vítimas de um atentado, no norte do país.