Última hora

Última hora

Ecofin rejeita pânico nos mercados

Em leitura:

Ecofin rejeita pânico nos mercados

Tamanho do texto Aa Aa

O descalabro que está a ser vivido nas bolsas mundiais não podia deixar de ser o principal tema em vcima da mesa, na cimeira dos ministros da Economia e Finanças da União Europeia, em Bruxelas.

O luxemburguês Jean-Claude Juncker, que preside ao grupo de quinze países da Zona Euro, diz que não há razões para pânico: “Se os mercados reagem, em parte, de forma irracional e levados pelo instinto, e se os mercados financeiros começam a pensar a curto prazo, isso não significa que os ministros das finanças tenham que fazer o mesmo”.

Perante um panorama de crise, uma coisa parece certa: a economia da Europa está de muito melhor saúde que a dos Estados unidos, que pode entrar este ano em recessão.

A ideia é confirmada pelo esloveno Andrej Bajuk, presidente em exercício do Ecofin: “Pensamos que os dados económicos da Europa são muito melhores que os dos Estados Unidos. O crescimento da União Europeia vai estar ligeiramente abaixo do potencial de 2008, mas as previsões mostram que as reformas económicas postas em marcha na União reforçaram a resistência da economia europeia a este tipo de choque”.

O apelo à calma parece ser o denominador comum de todos os ministros nesta reunião. A francesa Christine Lagarde diz que, mesmo se os Estado Unidos mergulharem este ano numa recessão, “isso não é nenhuma tragédia”.