Última hora

Última hora

Eleições antecipadas ou reforma eleitoral: o dilema do presidente italiano

Em leitura:

Eleições antecipadas ou reforma eleitoral: o dilema do presidente italiano

Tamanho do texto Aa Aa

O presidente italiano tenta encontrar uma solução para a crise política desencadeada ontem pela queda do governo Prodi. Giorgio Napolitano começou a ouvir esta manhã os principais partidos para decidir se convoca eleições antecipadas ou nomeia um governo interino. Segundo os analistas, a prioridade passa por modificar a actual lei eleitoral, apontada como responsável pela instabilidade política em Itália nos últimos 60 anos.

A oposição de centro-direita, exige por seu lado eleições antecipadas para Abril. Para Renato Schifani, “a reforma eleitoral necessita apenas de algumas semanas. Mas arriscamo-nos a que os partidos da maioria não cheguem novamente a um consenso”. O recém-criado partido Democrata, que reúne as formações governamentais, reuniu-se hoje em Roma para reflectir sobre a situação actual.

O vice-presidente da formação, Dario Franceschini, sublinha que, “com a actual lei eleitoral qualquer que seja o vencedor das eleições não poderá governar”, acusando a oposição de querer continuar a beneficiar da situação caótica.

Romano Prodi foi ontem, pela terceira vez na sua carreira, atraiçoado pelos seus pares, nomeadamente pelos partidos cristãos do seu governo, que se juntaram à maioria do Senado que votou contra uma moção de confiança ao governo.

A imprensa fala hoje do fim do modelo de centro-esquerda defendido por Prodi, que tentara em vão conciliar os interesses distintos de nove partidos da coligação, de cristãos a comunistas.