Última hora

Última hora

Explosão em Beirute mata alto responsável dos serviços secretos libaneses

Em leitura:

Explosão em Beirute mata alto responsável dos serviços secretos libaneses

Tamanho do texto Aa Aa

A periferia este de Beirute foi abalada esta manhã por uma explosão que visava um alto responsável dos serviços secretos libaneses. Wissam Eid estava a investigar vários atentados contra políticos e jornalistas anti-sírios, nomeadamente o que matou o ex-primeiro-ministro libanês Rafic Hariri, no dia 11 de Fevereiro de 2005.

Um ano mais tarde, Eid sobreviveu a um primeiro atentado, mas esta manhã não conseguiu escapar à deflagração que ocorreu à passagem do seu carro. O ministro do Desporto, Ahmad Fatfat, explica que “o capitão Wissam Eid era um oficial especialista em comunicações e teve um papel muito importante na análise de telefonemas feitos em vários atentados, começando pelo do ex-primeiro-ministro Rafic Hariri e o de Ain Alak.”

O ataque ocorreu no bairro cristão de Hazmieh, zona residencial de vários responsáveis diplomáticos, na periferia este da capital do Líbano, e matou pelo menos mais três pessoas, de acordo com o último balanço divulgado pela Cruz Vermelha libanesa. Inicialmente, as forças de segurança locais falavam de um total de 10 mortos.

Nos últimos três anos, o Líbano foi palco de pelo menos 30 atentados deste género contra políticos e jornalistas anti-sírios. As forças de manutenção de paz da ONU também têm sido alvo deste tipo de ataque.

A Síria rejeita qualquer responsabilidade na instabilidade política que se vive no Líbano e já condenou o atentado desta manhã. Há dez dias, a explosão de um carro armadilhado à passagem de um veículo diplomático norte-americano na capital libanesa matou três pessoas e feriu 16.