Última hora

Última hora

Société General perde sete mil milhões de euros

Em leitura:

Société General perde sete mil milhões de euros

Tamanho do texto Aa Aa

Jerôme Kerveil, de 31 anos, é o corretor a quem todos apontam a responsabilidade de um buraco financeiro colossal no terceiro maior banco francês. O banco Société Générale anunciou ter sido vítima de “uma fraude gigantesca” que lhe custará 4,9 mil milhões de euros a que se junta uma depreciação dos activos do quarto trimestre de 2007 no valor de 2.050 mil milhões de euros. Esta depreciação em activos deve-se à crise dos créditos hipotecários nos Estados Unidos, mas pesa no exercício de 2007.

A advogada de Jerôme Kerveil informou que o seu cliente não se encontra em fuga e que está à disposição da justiça depois de uma notificação, no domingo, passado altura que foi apresentada queixa no tribunal de Nanterre por fraude.

Mas para já todo querem saber se um homem só poderá estar por detrás de uma das maiores fraudes de sempre no país. Um economista avançou que “não tem dúvidas de há um erro, talvez humano, mas que não se pode imaginar que um grande banco como Société General tenha deixado passar durante vários meses, e sobretudo cinco mil milhões de euros de erros, sabendo-se que há um controle de riscos, que há validação de contas que se fazem com regularidade.

O banco francês fez saber que, mesmo assim, terá tido entre 600 e 800 milhões de euros de lucros. Entretanto, para reforçar os fundos próprios após a fraude, a Société Générale vai lançar um aumento de capital no valor de 5.500 mil milhões de euros.

Este caso lembra o escândalo financeiro que envolveu o jovem corretor Nick Lesson que nos anos 90 levou à falência do Barings Bank