Última hora

Última hora

A morte de Habash mergulha palestinianos no luto

Em leitura:

A morte de Habash mergulha palestinianos no luto

Tamanho do texto Aa Aa

Os palestinianos estão de luto após a morte do líder histórico e fundador da Frente
Popular de Libertação da Palestina. Georges Habash morreu, aos 82 anos, num hospital de Amman, a capital jordana, onde foi internado devido a problemas cardíacos. A presidência palestiniana ordenou a colocação da bandeira a meia haste e três dias de luto nacional assim como a abertura de um livro de condolências.

George Habash abandonou em Julho de 2000 o cargo de secretário-geral da FPLP, movimento radical nacionalista que é um dos três grandes grupos que constituem a Organização de Libertação da Palestina (OLP), depois de ter dirigido a organização durante 30 anos.

À frente da FPLP, Habash recusou os Acordos de Paz de Oslo (1993) e defendeu que um Estado palestiniano seria sempre “uma caricatura” porque resultaria de “concessão atrás de concessão” da Autoridade Palestiniana a Israel.

Rival histórico de Yasser Arafat foi o iniciador do sequestro de aviões comerciais cujos passageiros eram libertados poucos dias depois sem violência. Os aparelhos de várias companhias com passageiros israelitas eram desviados para o deserto e sistematicamente destruídos, uma prática que nos anos 60 transfromou este homem num dos mais procurados do Médio Oriente.