Última hora

Última hora

Presidente da Shell defende-se de lucros "obscenos"

Em leitura:

Presidente da Shell defende-se de lucros "obscenos"

Tamanho do texto Aa Aa

A Shell teve lucros recorde em 2007. A gigante petrolífera anglo-holandesa lucrou mais de dois milhões de euros por hora, ao longo do ano passado, o que levou alguns analistas a classificar estes números como “obscenos”, dado o preço que os consumidores e os profissionais do transporte estão a pagar pelo combustível.

Em 2006, com uma média de 60 dólares por barril, a Shell tinha ganho 17,5 mil milhões de euros. No ano passado, com o preço médio do barril a subir dez dólares, os lucros da Shell tiveram uma subida de 23%, para os 21,5 mil milhões de euros.

O presidente da Shell, Jeroen Van der Veer, defende-se das acusações: “Se olharmos para onde estes lucros foram realizados, foi sobretudo na extracção de petróleo, não na venda de combustíveis. Se tivermos que pagar mais impostos, isso significa que passamos a investir menos”.

Van der Veer argumenta que uma grande parte do lucro é investida na pesquisa. As críticas vêm sobretudo do sindicato britânico dos profissionais do transporte, que vê uma relação directa entre os combustíveis, mais caros que nunca, e os lucros astronómicos feitos pela petrolífera. Sugere por isso a criação de um imposto adicional.

No Reino Unido, o preço da gasolina ultrapassa, em muitos casos, uma libra, ou seja, 1,45 euros por litro. A Shell prevê a continuação dos bons resultados este ano e diz que a procura de energia vai manter-se, apesar do abrandamento económico.